quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Reviravoltas

Se o poeta estava certo e o mundo é um moinho, acabo de entender o que sente um grão de trigo ao ser moido pelo movimento de suas pás.
Segundo os estudiosos, o mundo dá uma volta completa a cada 24 horas, aproximadamente. Mas o meu mundo pareceu girar milhares de vezes mais rápido desta vez.
Tão rápido a ponto de não ser mais possível sentir o chão...
Uma sensação estranha, a de não saber se está caindo ou voando, se é bom ou ruim.
Citando uma frase que eu vi em um filme, posso dizer que este momento da minha vida está chegando ao fim, ao fim de tudo que já conheci e vivi.
Começo a ver o mundo com outros olhos..
Olhos maduros, olhos sofridos, molhados..
E ao final de tudo restam apenas as marcas de um crescimento forçado, porém necessário, inevitável, no máximo adiável...
São marcas que ostentarei com orgulho
Pois serão marcas de vitória

Um comentário:

  1. Caramba, Michelle, esse texto tá perfeito.
    Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir